sexta-feira, 24 de junho de 2011

João 1.7

- ουτος ηλθεν εις μαρτυριαν ινα μαρτυρηση περι του φωτος ινα παντες πιστευσωσιν δι αυτου. (Textus Receptus);
- Ele veio como testemunha, para testificar acerca da luz, a fim de que por meio dele todos os homens cressem. (NVI);
- Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele. (ACRF).

Foi João, o Batizador, que primeiro apontou Jesus aos homens como luz, e foi através da fé desses homens que outros vieram a crer (cf. 5.35). O testemunho era: ‘Cristo e só Ele, vindo ao mundo ilumina todo a todo homem’. Não há salvação das trevas à parte dEle. Strong define os termos ‘dando testemunho’ (Gr martureo), como ‘dar evidência’, ‘atestar’, ‘confirmar’, ‘confessar’, ‘possuir registro’, ‘falar bem de’, 'fazer um bom relato’, ‘testemunhar’, ‘afirmar que alguém viu, escutou ou passou por alguma coisa’. No Novo Testamento, é usada especialmente para apresentar o evangelho com evidência. A palavra ‘Mártir’ vem dessa palavra, sugerindo que uma testemunha é alguém disposto a morrer por seu testemunho.

Como precursor de Cristo, João precedeu Jesus e anunciou a sua chegada iminente. Ainda, João chamara o povo a agir especificamente com a finalidade de se preparar para a chegada de Jesus. Ele percorreu toda a região próxima ao Jordão, pregando um batismo de arrependimento para o perdão dos pecados (Lc 3.3-NVI). Lucas 3.3 diz que João estava pregando um "batismo de arrependimento para o perdão dos pecados”. Arrependimento é um estado composto: é um pesar que nos cerca por algo errado que fizemos; uma atitude de mudança; e uma ação em direção a tal mudança. Ele começa com o sentimento de pesar por certas ações passadas. João estava desafiando seus ouvintes a darem uma boa olhada nas ações pecaminosas deles e a avaliarem-se à luz das expectativas de Deus. Como o povo sentiu-se a respeito do que elas andavam fazendo?

A igreja, assim como João Batista, não pode se conformar com o pecado, com a religiosidade aparente, com a degradação social. A autoridade profética da Igreja se baseia na revelação da Palavra de Deus, e, a partir dela, deve também dar testemunho de Cristo e ser uma voz que clama no deserto (Mt 3.3; Mc 1.3; Lc 3.4; Jo 1.23).

Notas Bibliográficas

- BRUCE, F. F. João: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 2007.;

- Bíblia de Estudo Plenitude, Barueri, SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 2001. Palavra-Chave At 26.22, p. 1143;

- Bíblia de estudos de Genebra. Trad. de João Ferreira de Almeida. São Paulo: Cultura Cristã, 1999.

Os textos das referências bíblicas foram extraídos do site http://www.bibliaonline.com.br/, nas versões Almeida Corrigida e Revisada Fiel, Textus Receptus e Nova Versão Internacional.

Autorizo a todos que quiserem fazer uso dos comentários colocados neste Blog. Solicito, tão somente, que indiquem a fonte e não modifiquem o seu conteúdo. Agradeceria, igualmente, a gentileza de um e-mail indicando qual o texto que está utilizando e com que finalidade (estudo pessoal, na igreja, postagem em outro site, impressão, etc.).

assis.barbosa@bol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário