domingo, 19 de junho de 2011

João 1.1

εν αρχη ην ο λογος και ο λογος ην προς τον θεον και θεος ην ο λογος (Textus Receptus)

No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus (NVI)

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus (ARC)

O termo ‘Verbo’ no texto grego é logos (λογος), e designa Deus, o Filho, referindo-se à sua divindade. Os termos “Jesus” e “Cristo” referem-se à sua encarnação e obra salvífica. Durante os três primeiros séculos, as doutrinas a respeito da Pessoa de Cristo incidiram intensamente sobre sua posição como o Logos. Na filosofia grega, o logos era a ‘razão’ ou a ‘lógica’, como força abstrata que trazia a ordem e harmonia ao universo. Porém, nos escritos de João, tais qualidades do Lógos estão unidas na pessoa de Cristo. Na filosofia neoplatônica e na heresia gnóstica (séculos II e III d.C.), o Logos era visto como um dos muitos poderes intermediários entre Deus e o mundo. Tais noções estão bem longe da simplicidade do Evangelho de João.

No versículo primeiro, João afirma expressamente que o verbo é Deus. “No princípio” (é uma clara referência às palavras de abertura da Bíblia - בראשית, Bereshít, "no início", "no princípio", primeira palavra do texto) é o nome da primeira parte da Torá. Bereshit é chamado comumente de Gênesis pela tradição ocidental e trata-se praticamente do mesmo livro apesar de algumas diferenças, principalmente no que lida com interpretações religiosas com outras religiões que aceitam o livro de Gênesis. Este artigo pretende mostrar as origens do livro e suas implicações dentro principalmente do judaísmo.), o Logos já existia, e esta é uma maneira de afirmar a eternidade que só Deus possui. João afirma claramente que o ‘Verbo era Deus’. Embora alguns tenham observado que a palavra traduzida ‘Deus’, aqui, não é precedida do artigo definido e, com base nisto, afirmam que a expressão significa ‘um deus’, mais do que propriamente ‘Deus’. É um erro entender assim. Os melhores lingüistas afirmam que o artigo é omitido por causa da ordem da palavra na sentença grega (o predicado ‘Deus’ foi colocado antes para ser enfatizado). O Novo Testamento nunca sustenta a idéia de ‘um deus’, expressão que dá margem ao politeísmo e conflitaria com o monoteísmo bíblico. No Novo Testamento, a palavra grega para ‘Deus’ ocorre freqüentemente sem o artigo definido, dependendo da exigência da gramática grega.

A expressão ‘o Verbo estava com Deus’ indica uma distinção de Pessoas, dentro da unidade da Trindade. Pai, Filho e Espírito Santo não são formas sucessivas de aparecimento de uma Pessoa, como entende o Unicismo, mas são Pessoas eternas desde ‘o princípio’. A preposição ‘com’ sugere uma relação de estreita intimidade pessoal.

Notas Bibliográficas

- DICIONÁRIO VINE - W. E. Vine, Merril F. Unger & William White Jr. CPAD, Rio de Janeiro, RJ. 1ª edição, 2002; p. 648;

- Bíblia de Estudo Plenitude, Barueri, SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 2001. Nota textual 1Co 12.8-11, p. 1189;

- STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal; CPAD. 2ª impressão, 1996, Rio de Janeiro;

- Bíblia de estudos de Genebra. Trad. de João Ferreira de Almeida. São Paulo: Cultura Cristã, 1999.

Os textos das referências bíblicas foram extraídos do site http://www.bibliaonline.com.br/, nas versões Almeida Corrigida e Revisada Fiel, Textus Receptus e Nova Versão Internacional.

Autorizo a todos que quiserem fazer uso dos comentários colocados neste Blog. Solicito, tão somente, que indiquem a fonte e não modifiquem o seu conteúdo. Agradeceria, igualmente, a gentileza de um e-mail indicando qual o texto que está utilizando e com que finalidade (estudo pessoal, na igreja, postagem em outro site, impressão, etc.).

assis.barbosa@bol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário